Autores Locais

ALEXANDRE DA CONCEIÇÃO

De ascendência aguedense, o seu pai, médico, era natural de Belazaima do Chão, nasceu em Ílhavo, a 16 de outubro de 1841, falecendo em Viseu em 1889. Formado em Engenharia, foi diretor das Obras Públicas no distrito de Viseu. Pertenceu ao grupo de poetas ligados à revista portuense A Grinalda, a que Teófilo Braga chamou o repositório da "última fase da poesia lírica do Romantismo em Portugal", e fundou, em 1876 e 1877, respetivamente, as revistas A Evolução e A Revolução, mas deixou uma imensa colaboração dispersa por periódicos como A Folha, Jornal do Porto, Literatura Ocidental, O Ocidente (1877-1915), O Primeiro de Janeiro, O Século, Renascença (1878-1879?), e A Folha Nova.

OBRAS PUBLICADAS

"Alvorada”

“Abençoada esmola”

“A Camões”

“Outonais”

“Ensaios de crítica e literatura”


Investigação

A identidade de Águeda passa necessariamente pelas obras dos seus naturais, dos que aí nasceram ou nela vivem, dos que, mesmo sendo de fora, se interessam pelos assuntos aguedenses, os analisam, estudam, sobre eles escrevem e editam. Essas produções, sob a forma de livros e outros documentos, ajudam a desenhar a matriz identitária do nosso concelho. Conhecer uma dessas coisas é conhecer a outra.

E por essa razão perguntamos: quantos são os autores e os livros de/sobre Águeda?

O desejo de encontrar resposta para esta dúvida/curiosidade levou um grupo de estágio da Esmc, há 15 anos, a iniciar a investigação — por bibliotecas públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, por instituições locais e muitas entrevistas, de resultados bem surpreendentes e profícuos…

VER/BAIXAR PDF - O Livro de Águeda (Eleutério Santos)