Autores Locais

JOAQUIM RODRIGUES DAVIM

Joaquim Rodrigues Davim nasceu em Águeda, a 31 de Março de 1869, e faleceu a 5 de Janeiro de 1923, em Faro.

Formado em Direito pela Universidade de Coimbra em 1895, a partir de 1899 fixa residência naquela cidade, onde, para além do exercício de advocacia, é convidado a desempenhar diversas funções de relevo político e sociocultural. Assim, foi nomeado Administrador do Concelho, foi membro da Junta Distrital, Reitor do Liceu de Faro e Presidente da Instituto Arqueológico do Algarve. e um dos fundadores, em 1920, da Ordem de Santa Maria do Castelo, em Tavira, Ordem de que foi Cavaleiro. Foi ainda sócio efectivo da Academia das Ciências de Portugal e do Instituto Histórico do Minho.

Enquanto isso vai-se afirmando como poeta e escritor de nomeada. Em termos jornalísticos assinou vasta colaboração publicada, sobretudo, na imprensa algarvia da época, tendo sido um dos colaboradores do número único do Jornal “12 de Agosto” publicado naquela mesma data, em 1889, em Águeda, dedicado à memória do tribuno José Estêvão.

OBRAS PUBLICADAS

“Sombras”

“Morta”

“Ode aos Artistas”

“Ode aos Heróis”

“Telas Rústicas”


Investigação

A identidade de Águeda passa necessariamente pelas obras dos seus naturais, dos que aí nasceram ou nela vivem, dos que, mesmo sendo de fora, se interessam pelos assuntos aguedenses, os analisam, estudam, sobre eles escrevem e editam. Essas produções, sob a forma de livros e outros documentos, ajudam a desenhar a matriz identitária do nosso concelho. Conhecer uma dessas coisas é conhecer a outra.

E por essa razão perguntamos: quantos são os autores e os livros de/sobre Águeda?

O desejo de encontrar resposta para esta dúvida/curiosidade levou um grupo de estágio da Esmc, há 15 anos, a iniciar a investigação — por bibliotecas públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, por instituições locais e muitas entrevistas, de resultados bem surpreendentes e profícuos…
Eleutério Santos

VER/BAIXAR PDF - O Livro de Águeda (Eleutério Santos)