Autores Locais

JOSÉ DE BASTOS XAVIER

José de Bastos Xavier nasceu a 29 de Outubro de 1902, em Arrancada do Vouga, e faleceu a 25 de Março de 1976.

Formado em Engenharia pela Faculdade de Engenharia do Porto, trabalhou para o Estado como funcionário público mas acabou por optar pelo regresso à sua terra para se dedicar à indústria. Presidiu ao executivo da Câmara Municipal de Águeda de Março de 1964 a Novembro de 1967, cargo de que foi demitido pela recusa de substituição do Regedor de Recardães, em funções havia duas décadas, dado o desacordo com os motivos evocados para o efeito.

Assinou, em Junho de 1966, no número inaugural da revista “Aveiro e o seu Distrito” um trabalho sobre a Lagoa de Fermentelos, e integrou o grupo dos “Novos Prosadores”, complemento do “Novo Cancioneiro”, no romper do neo-realismo, que contava no seu seio com poetas e prosadores, como Sidónio Muralha, Mário Dionisio, Fernando Namora, Alves Redol e Soeiro Pereira Gomes.

OBRAS PUBLICADAS

"Cana ao vento”;

“Novos claustros da montanha”;

“Arame farpado”;

“O pátio”;

“Galope na sombra”;

“A Zorra”.


Investigação

A identidade de Águeda passa necessariamente pelas obras dos seus naturais, dos que aí nasceram ou nela vivem, dos que, mesmo sendo de fora, se interessam pelos assuntos aguedenses, os analisam, estudam, sobre eles escrevem e editam. Essas produções, sob a forma de livros e outros documentos, ajudam a desenhar a matriz identitária do nosso concelho. Conhecer uma dessas coisas é conhecer a outra.

E por essa razão perguntamos: quantos são os autores e os livros de/sobre Águeda?

O desejo de encontrar resposta para esta dúvida/curiosidade levou um grupo de estágio da Esmc, há 15 anos, a iniciar a investigação — por bibliotecas públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, por instituições locais e muitas entrevistas, de resultados bem surpreendentes e profícuos…
Eleutério Santos

VER/BAIXAR PDF - O Livro de Águeda (Eleutério Santos)