Autores Locais

JOÃO DOMINGUES AREDE

Natural de Macieira de Alcôba, nasceu a 11 de Dezembro de 1869 e faleceu em Outubro de 1953, em Cucujães. 

Foi ordenado Padre em 8 de Outubro de 1893, tendo cursado Teologia no Seminário de Coimbra. Desempenhou a função de Coadjutor na localidade do Louriçal, foi 2º. Capelão do Hospital Militar de Runa, vigário em Souzelas e abade de Cucujães de 1900 a 1932. A ele se deve a fundação do Museu Arqueológico e Etnológico de Cucujães. Historiador, com uma vida dedicada aos estudos regionais, foi correspondente da Academia das Ciências de Portugal, tendo colaborado no seu Inquérito Vocabular, e colaborado, também, no Arquivo do Distrito de Aveiro.

OBRAS PUBLICADAS
“Subsídio Moral para a educação e instrução da juventude luso-brasileira” (1912);

“Cucujães “(1914);

“Estudos sobre antiguidades dos povos de Santa Maria da Feira e etnologia e etiologia da região do Caramulo” (1919);

“Cucujães e Mosteiro com seu Couto nos tempos medievais e modernos”;

“Estudos Regionais: subsídios para a história da antiga terra do Préstimo e terras que foram do seu termo”;

“Manual de Instrução Moral e Cívica”;

“Museu Arqueológico e Etnológico de Cucujães: breve notícia histórica da freguesia e via do Couto de Cucujães e catálogo do seu museu “ (1935);

“Subsídios para a história de Macieira de Alcôba do Concelho de Águeda” (1940);

“Mais um subsídio para a história de Macieira de Alcôba do Concelho de Águeda” (1942);

”Memórias: esboço de uma autobiografia” (1947);

”Judeus e Hebreus no Caramulo” (1948);

”Breves apontamentos sobre a história de Loureiro” (1949);

“Santa Maria de Ul” (1951);

”Madail, do Concelho de Oliveira de Azeméis, bispado do Porto” (1953);

”Macieira de Alcôba e Talhadas” (1953);

Da colaboração prestada ao “Arquivo do Distrito de Aveiro” merecem particular destaque:

“Estradas romanas no Distrito de Aveiro” (1938);

“Ainda o Ubi de Talábriga” (1942) e

“Identificação do rio Antuã e do seu afluente rio Ul” (1944).


Investigação

A identidade de Águeda passa necessariamente pelas obras dos seus naturais, dos que aí nasceram ou nela vivem, dos que, mesmo sendo de fora, se interessam pelos assuntos aguedenses, os analisam, estudam, sobre eles escrevem e editam. Essas produções, sob a forma de livros e outros documentos, ajudam a desenhar a matriz identitária do nosso concelho. Conhecer uma dessas coisas é conhecer a outra.

E por essa razão perguntamos: quantos são os autores e os livros de/sobre Águeda?

O desejo de encontrar resposta para esta dúvida/curiosidade levou um grupo de estágio da Esmc, há 15 anos, a iniciar a investigação — por bibliotecas públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, por instituições locais e muitas entrevistas, de resultados bem surpreendentes e profícuos…
Eleutério Santos

VER/BAIXAR PDF - O Livro de Águeda (Eleutério Santos)