Autores Locais

ALEIXO DE SANTO ANTÓNIO

Padre, nasceu em Águeda, a 22 de Janeiro de 1712, presumindo-se que terá falecido em Belém do Pará, Brasil, em data desconhecida. Padre Jesuíta, entrou para a Companhia de Jesus (crê-se que para o Colégio de Coimbra), tendo ali recebido o Grau de Mestre em Artes e passando, de seguida, a leccionar ali. 

No Brasil, para onde partira em missão, foi explicador de Humanidades no Colégio de Belém, no estado do Pará, e fez parte do grupo de 21 jesuítas expulsos do Brasil pelo Marquês de Pombal, a 28 de Novembro de 1759, acusados pelo crime de lesa-magestade “por dizer mal das leis de El-Rei”. Em 1777 foi libertado da prisão de S. Julião, posto o que terá regressado ao Brasil.

OBRAS PUBLICADAS

“Hércules Gallicus, Religionis Vindex Plausus” (peça teatral encenada no colégio de Belém; não há evidências de que a obra tenha sido publicada)

“Oração Fúnebre” apresentada nas exéquias do Augustíssimo e Fidelíssimo Senhor Rei D. João V, na Igreja do Colégio da Companhia de Jesus de Belém do Pará, e posteriormente editada em Lisboa em 1754.


Investigação

A identidade de Águeda passa necessariamente pelas obras dos seus naturais, dos que aí nasceram ou nela vivem, dos que, mesmo sendo de fora, se interessam pelos assuntos aguedenses, os analisam, estudam, sobre eles escrevem e editam. Essas produções, sob a forma de livros e outros documentos, ajudam a desenhar a matriz identitária do nosso concelho. Conhecer uma dessas coisas é conhecer a outra.

E por essa razão perguntamos: quantos são os autores e os livros de/sobre Águeda?

O desejo de encontrar resposta para esta dúvida/curiosidade levou um grupo de estágio da Esmc, há 15 anos, a iniciar a investigação — por bibliotecas públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, por instituições locais e muitas entrevistas, de resultados bem surpreendentes e profícuos…
Eleutério Santos

VER/BAIXAR PDF - O Livro de Águeda (Eleutério Santos)