Autores Locais

MANUEL DA COSTA E MELO

Nasceu em Mourisca do Vouga em Setembro de 1913.

Completou o Curso Liceal no Liceu do Porto e, prosseguindo os estudos, em Julho de 1935 terminou a licenciatura em Ciências Jurídicas na Faculdade de Direito da Universidade de Lisboa, exercendo Notariado nos Açores de 1936 a 1943.

Democrata e defensor dos ideais de esquerda aderiu ao Movimento de Unidade Democrática (MUD), pelo que foi forçado a abandonar a Função Pública e fixar-se em Aveiro, exercendo advocacia e lutando na clandestinidade pela queda do regime então vigente. Nesta situação militou ativamente na União Socialista e ASP (Associação Socialista Portuguesa), e foi um dos fundadores do PS (Partido Socialista) onde desempenhou diversas funções.

Ainda na clandestinidade, dedicou-se a atividades cívicas e reivindicativas e integrou as campanhas eleitorais de Norton de Matos e do General Humberto Delgado, deu o seu contributo para diferentes eleições de Deputados à Assembleia Nacional e participou nos Congressos Republicanos de Aveiro em 1957, 1969 e 1973. Preso por três vezes pela PIDE, foi recluso em Caxias ao lado de várias figuras da oposição, entre as quais se contavam Mário Sacramento e João Sarabando. 

Com o evento do 25 de Abril é reintegrado na Função Pública em 1975, permanecendo no Quadro dos Notários até à aposentação, em 1982. Enquanto isso, integra a Comissão Administrativa da Câmara Municipal de Aveiro e chefia o Governo Civil de Aveiro de 23 de Setembro de 1976 a 22 de Fevereiro de 1979.

OBRAS PUBLICADAS

“Estrutura Partidária, base indispensável da luta pela Democracia”

”Ecos do mesmo grito”

“Bases para uma Lei Eleitoral de Expressão Dramática”

“Duas datas, uma causa”

“Memórias Cívicas”

“Longes da Freita, Pertos da Ria”

“Caxias – Rimas de antigamente”

“Gentes de Toga e Beca”

“União Socialista - elementos para o seu conhecimento”

“Memórias de Águeda em forma de saudade”

“Asas de Pedra”

“Memórias de Aveiro em forma de saudade”

“Papel de Jornal”, vols. I e II

“A Ria a preto e branco”

“Antes e depois de Abril”

“Ilhas do mundo vário”

”Gentes de Toga, Beca e Carapinha”


Investigação

A identidade de Águeda passa necessariamente pelas obras dos seus naturais, dos que aí nasceram ou nela vivem, dos que, mesmo sendo de fora, se interessam pelos assuntos aguedenses, os analisam, estudam, sobre eles escrevem e editam. Essas produções, sob a forma de livros e outros documentos, ajudam a desenhar a matriz identitária do nosso concelho. Conhecer uma dessas coisas é conhecer a outra.

E por essa razão perguntamos: quantos são os autores e os livros de/sobre Águeda?

O desejo de encontrar resposta para esta dúvida/curiosidade levou um grupo de estágio da Esmc, há 15 anos, a iniciar a investigação — por bibliotecas públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, por instituições locais e muitas entrevistas, de resultados bem surpreendentes e profícuos…
Eleutério Santos

VER/BAIXAR PDF - O Livro de Águeda (Eleutério Santos)