Autores Locais

FERNANDO BRAZ

Fernando Braz da Costa é natural do bairro da Bicha-Moura, em Águeda, onde nasceu a 1 de Fevereiro de 1932. Completado o Ensino Primário fez, com bom aproveitamento, o exame de admissão ao Seminário, que não frequentou por falta de recursos dos seus pais. Em Viseu frequentou, e concluiu, o 1º. Ano do Ciclo Preparatório na Escola Comercial e Industrial Dr. Azevedo Neves. Em 1944, então com 12 anos, impossibilitado de prosseguir os estudos pelas dificuldades económicas, parte para a Marinha Grande, em cuja indústria vidreira inicia a sua atividade laboral.

Pouco tempo, porém, se mantém ali. Ainda no mesmo ano regressa à sua cidade natal onde presta serviço na indústria de ferragens até 1953, data em que é incorporado no Regimento de Artilharia Anti-Aérea Fixa, em Queluz. A 10 de Agosto de 1955, após a tomada de Dadrá e Nagar Aveli, integra uma expedição à Índia, tendo sido louvado pelo Batalhão de Caçadores da Índia e pelo Governo Chinês por relevantes serviços prestados. Regressa a Portugal a 22 de Novembro de 1956 e, no ano seguinte, desmobilizado, dá início à sua atividade comercial como vendedor de fruta porta-a-porta, até se estabelecer, definitivamente, na Rua Luís de Camões.

Foi dirigente de diversos Ranchos Folclóricos do Distrito de Aveiro, do Orfeão de Águeda e do Grupo Etnográfico “Os Serranos”, de Belazaima do Chão. A partir de 1975 colabora com a imprensa aguedense e em 1999 inicia a publicação dos livros da sua autoria.

 

OBRAS PUBLICADAS

“Águeda que eu vivi”;

“Dos feitos dos Lemos da Trofa - guerreiros, navegantes e aventureiros”;

“Recepção ao Caloiro”;

“A loja do João Resende”;

“Reflexões às próximas eleições”

“Poemas da minha lavra”.


Investigação

A identidade de Águeda passa necessariamente pelas obras dos seus naturais, dos que aí nasceram ou nela vivem, dos que, mesmo sendo de fora, se interessam pelos assuntos aguedenses, os analisam, estudam, sobre eles escrevem e editam. Essas produções, sob a forma de livros e outros documentos, ajudam a desenhar a matriz identitária do nosso concelho. Conhecer uma dessas coisas é conhecer a outra.

E por essa razão perguntamos: quantos são os autores e os livros de/sobre Águeda?

O desejo de encontrar resposta para esta dúvida/curiosidade levou um grupo de estágio da Esmc, há 15 anos, a iniciar a investigação — por bibliotecas públicas e privadas, nacionais e estrangeiras, por instituições locais e muitas entrevistas, de resultados bem surpreendentes e profícuos…
Eleutério Santos

VER/BAIXAR PDF - O Livro de Águeda (Eleutério Santos)